Busca:

Quarteto em Cy



Dados Artísticos

Conjunto vocal formado originalmente pelas irmãs Cyva, Cynara, Cybele e Cylene, nascidas em Ibirataia (BA), que se mudaram para o Rio de Janeiro na década de 1960. Nessa cidade, conheceram Carlos Lyra e Vinicius de Moraes, que deram o nome de Quarteto em Cy ao grupo. O primeiro registro do conjunto foi a participação, com Catulo de Paula, na trilha sonora do filme de Alex Viany "Sol sobre a lama" (1963), composta por Pixinguinha e Vinicius de Moraes.

No ano seguinte, o grupo apresentou-se na Boate Bottle's e, em seguida, na casa noturna Zum Zum, ao lado de Vinicius de Moraes e Dorival Caymmi, em show produzido por Aloisio de Oliveira, com direção musical de Oscar Castro Neves. Ainda em 1964, gravou seu primeiro LP, "Quarteto em Cy", com arranjos vocais de Carlinhos Castilho e arranjos instrumentais de Eumir Deodato, seguido, no ano seguinte, pelos LPs "Som definitivo", "Afro-sambas com Vinicius de Moraes e Baden Powell" e "Vinicius e Caymmi no Zum Zum com Quarteto em Cy e Oscar Castro Neves", "Quarteto em Cy" e "Marré de Cy".

Em 1966, Cylene foi substituída por Regina Werneck e o conjunto viajou para os Estados Unidos, onde se apresentou em programas de televisão e gravou o LP "Pardon my English". De volta ao Brasil, participou do "Show do crioulo doido", de Sérgio Porto, realizado no Teatro Toneleros (RJ).

O quarteto voltou aos Estados Unidos em 1967, apresentando-se, com o nome de The Girls from Bahia, em universidades e cassinos, com um repertório que incluía versões de músicas americanas para o português e canções de Tom Jobim com letras vertidas para o inglês. Participou, também, do "Andy Williams Show", e gravou o LP "The Girls from Bahia". Em seguida, Cynara e Cybele se desligaram do quarteto, atuando em dupla até o ano seguinte e sendo substituídas por Cymiramis e Sonia. Com esta nova formação, o quarteto voltou aos Estados Unidos.

Em 1968, já de volta ao Brasil, o quarteto gravou o LP "Em Cy maior" e foi contratado, através de Aloysio de Oliveira, na época casado com Cyva, para atuar nos Estados Unidos.

Em 1970, o grupo interrompeu suas atividades artísticas, reestruturando-se, dois anos depois, com nova formação constituída por Cyva, Cynara, Sonia e Dorinha Tapajós e gravando o LP "Quarteto em Cy". Com essa formação e atuando sob a direção musical de Luís Cláudio Ramos até 1983, gravou os seguintes LPs: "Antologia do samba-canção" (1975), "Resistindo" (1977), "Querelas do Brasil" (1978), "Cobra de vidro", com o MPB-4, (1979) e "Em 1000 kilohertz" (1980), todos com direção musical de Luís Cláudio Ramos.

Em 1980, Dorinha Tapajós desligou-se do grupo, sendo substituída por Cybele. Com a nova formação, que se mantém há 20 anos, o quarteto gravou os LPs "Quarteto em Cy interpreta Caetano, Milton, Gonzaguinha e Ivan" (1981) e "Lobos, Caymmis e Jobins" (1982). No ano seguinte, realizou, em Curitiba, o show "Falando de amor pra Vinicius", ao lado do violonista Luís Cláudio Ramos, homenageando o poeta um ano após seu falecimento.

A partir de 1983, o grupo passou a atuar sob a direção musical de Célia Vaz. Lançou os LPs "Ponto de luz" (1983), "A arte do Quarteto em Cy" (1984), "A arte do Quarteto em Cy e MPB-4" (1985), "Show ao vivo com Vinicius e Toquinho" (1986) e "Para fazer feliz a quem se ama" (1989).

Em 1989, o quarteto viajou para Tóquio (Japão), participando, com Carlos Lyra e Leila Pinheiro, de um festival de bossa nova, de shows na Boate Kay e de um especial para a TV japonesa.

Em 1991, gravou "Chico em Cy" e, no ano seguinte, "Bossa em Cy", lançado no Japão pela Nanã/BMG/Ariola.

O grupo viajou para a Espanha em 1992, com Carlos Lyra, Gilson Peranzzetta e Maria Creuza, a convite do governo espanhol, para as comemorações dos 500 anos do descobrimento da América, apresentando-se nas cidades de Madri, Sevilha, Salamanca, Cáceres, Huelva e Badajós.

No ano seguinte, lançou "Vinicius em Cy".

Em 1994, comemorando 30 anos de carreira, gravou os CDs "Tempo e artista" e "Trinta anos" e, dois anos depois, "Brasil em Cy".

Em 1997, o quarteto voltou a apresentar-se no Japão e gravou, com o MPB-4, o CD "Bate-boca". Ainda nesse ano, recebeu o Prêmio Sharp de Música na categoria Melhor Grupo Vocal.

No ano seguinte, lançou os CDs "O melhor do Quarteto em Cy" e "Amigos em Cy" e voltou a apresentar-se no Japão.

Em 1999, gravou, com o MPB-4, o CD "Somos todos iguais". Ainda nesse ano, o grupo comemorou 35 anos de carreira com o show "Boas-vindas" e com a gravação do CD "Gil & Caetano em Cy".

Em 2000, gravou, com o MPB-4, o CD "Vinicius de Moraes: A arte do encontro". Também nesse ano, realizou, com o MPB-4, show homônimo no Canecão (RJ), acompanhado dos músicos Célia Vaz (violão), João Faria (baixo), João Cortez (bateria) e Pedro Reis (guitarra e bandolim).

Em 2001, lançou, pela CID, o CD "Falando de amor pra Vinicius", gravação resgatada dos arquivos de Cynara do show realizado em Curitiba, em 1981, ao lado do violonista Luís Cláudio Ramos. No repertório, canções como "Mundo melhor" (Pixinguinha e Vinicius de Moraes), "Luciana" (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), "Carta ao Tom" (Toquinho e Vinicius de Moraes), "Preconceito" (Fernando Lobo e Antonio Maria) e "Maria Maria" (Milton Nascimento e Fernando Brant), entre outras.

Em 2004, participou, ao lado de Gilberto Gil e outros artistas, da gravação do CD "Hino do Fome Zero" (Roberto Menescal e Abel Silva).

Em 2005, celebrando 40 anos de carreira, apresentou-se no Teatro Rival (RJ), com banda formada pelos músicos Kiko Furtado, João Faria, João Cortez e Chico Faria.

Com arranjos vocais de Cynara, lançou, em 2006, o CD "Samba em Cy", contendo releituras de "Capital do samba" (José Ramos), "Perdão, meu bem" (Cartola), "Pam pam pam (Paulo da Portela) e "Insensato destino" (Maurício Lins, Chiquinho e Acyr Marques), além das inéditas "A saudade é que me consola" (Wilson das Neves e Paulo César Pinheiro), "O samba é o som" (Rubens Nogueira e Paulo César Pinheiro) e a faixa-título (Nei Lopes e Ruy Quaresma), entre outras.

Em 2012, os discos “Pardon my english”, de 1967, e “Revolución com Brasilia!”, de 1968, gravados pelo grupo nos Estados Unidos com o nome alternativo de The Girls From Bahia e inéditos no mercado fonográfico brasileiro, foram lançados em CD pelo selo Discobertas, de Marcelo Fróes.

Em 2012, foi lançada a biografia "As meninas do Cy - Vida e Música do Quarteto em Cy" (Imprensa Oficial - Coleção Aplauso), escrita pela jornalista Inahiá Castro, com noite de autógrafos realizada nesse mesmo ano no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo.

Em 2013, o grupo apresentou-se no espaço Miranda (RJ). O show contou com a participação de Pretinho da Serrinha, Georgiana de Moraes e Chico Faria.

Mais visitados
da semana

1 Mumuzinho
2 Chico Buarque
3 Dorival Caymmi
4 Caetano Veloso
5 Noel Rosa
6 Milton Nascimento
7 Festivais de Música Popular
8 Gilberto Gil
9 Zezé di Camargo e Luciano
10 Luiz Gonzaga